sábado, 8 de novembro de 2008

ruínas do tempo

deixei o tempo fugir

sem perceber o meu destino

e ele levou-me…

o melhor que tinha

e hoje,

só a memória não se apaga

só a intenção me afaga.



GE3 em: 13/10/08

5 comentários:

nas asas de um anjo disse...

poema simples, reflexivo, profundo...adorei!
de facto, já os orientais dizem q o tempo é o nosso mestre e sim, as memórias são sempre pontos de encontro q temos.
bom fim-de-semana!

Maria disse...

às vezes aconece, mas há sempre outra oportunidade. não a deixes fugir...
bom fim de semana e obrigada pela visita.
gostei do teu blog.

Vieira Calado disse...

;)

Desejo uma longa vida a este jovem blog.

Bom fim de semana.

Vera disse...

O tempo... de fim fugiu todo...

rouxinol de Bernardim disse...

a memória será sempre o farol do nosso viver colectivo! há que a preservar para sempre!