sábado, 7 de fevereiro de 2009

para ti Vera

desnuda o poema

nesse latejar sôfrego

que respiras...


abre-se um mundo

nasce um livro

Um comentário:

Vera disse...

António... estou sem palavras...

Obrigada :)

Beijo grande