segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

líquen

também seres vivos são, mas preferem a simplicidade da simbiose de um organismo formado por um fungo, invés, não andam a engodar ou a pintar cenários de guerrilha.
vivem nas árvores mas dos ramos não fazem armas de arremesso a quem lhes afronte com palavras vítreas. sim! preferem, os outros vírus, o regaço das polidas palavras mentirosas.
e no fim, tudo se resume, como alguém disse, ao sexo, mentiras e vídeo – ou o mesmo será dizer… um estranho relacionamento!

hoje voltei para fazer o compêndio deste local onde sobrevivo

2 comentários:

Marta Vasil disse...

Belas palavras que se agarraram a este "líquen"! Um retrato crítico do dia-a-dia.
Um abraço

Olhar Meu disse...

Tens pensamentos muito consistentes e sentidos. Gostei de "te" ler.

Bjo
Fatima