sábado, 16 de janeiro de 2010

morte orada

depois de naufragas
proponente das intempéries
um inocente silêncio desliza
pela carreteira embriagada

vinolenta loucura
que satisfaz os sonhos tristes

Um comentário:

Um Olhar disse...

Solidão é um estado de espírito ambíguo. Muito bom às vezes. Outras nem por isso. O poema está bonito... Gostei.

Bjo
Fatima