quarta-feira, 4 de novembro de 2009

nada

sou um todo de nada
em que nada de nada serve
sou assim, entre quatro letras, um nada
sem que tenha essa consciência

brinco com a verdade da vida encantada
mas a minha realidade é somente nada

2 comentários:

Um Olhar disse...

"Sou um tudo de nada"

Mas acima de tudo é um grande poeta, e é sempre um prazer ler os seus poemas.

Bjo
Fatima

Vieira Calado disse...

Niilista, amigo?

Também já fui...

Mas hoje passei-me disso.

Um forte abraço