quarta-feira, 27 de maio de 2009

(a ferida)

a ferida que não vês
derrama-me tormentos
sinto-a.

aos teus olhos sou um estranho
e as lágrimas chamam-me passado.

Um comentário:

Um Olhar disse...

A essência dos pequenos nadas, que ficam gravadas na nossa memória para sempre! Pensamento que sobressai alinhado no impulso de um querer...exprimido por palavras.

Simples, e lindo.

BJo

Fatima