sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

ócio

pirilampos amorfos
presos na escuridão

num tempo de ninguém.

Um comentário:

Marta Vasil disse...

Em terra de ócio não nasce LUZ.

Excelente

Um abraço

MV