segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

amor longínquo…

tenho um amor desfeito
que arde no peito

tenho essa ferida
que sangra pelo corpo

tão longe está o meu tratamento
que nas lágrimas deixo o meu lamento.



GE3 em: 16-11-2008

2 comentários:

Vera disse...

Há amores assim... que nos provocam feridas incuráveis.

Beijo

nas asas de um anjo disse...

credo, mas q fatalista, poeta!
não há mesmo nada a fazer?